Plano de Ação para 2018

INTRODUÇÃO

Num mundo marcado por violência estrema, guerras, desastres naturais e provocados por governantes loucos e prepotentes sem qualquer resquício de humanidade, vivem crianças, que em pleno século XXI não veem qualquer direito respeitado, nem sequer o direito a viverem com a sua família.

Crianças que são vítimas de todo o tipo de abuso que se possa imaginar.

A par de um desenvolvimento tecnológico capaz de proporcionar bem estar e melhores condições de vida a toda a Humanidade, continuamos a verificar que os números de crianças trabalhadoras no mundo são elevadíssimos, trabalhando muitas vezes em condições sub-humanas, e o mundo “dito desenvolvido” continua a ter exploração de trabalho infantil, como o reafirma o ultimo relatório da OIT.

A CNASTI, consciente desta realidade, para além do seu trabalho específico, terá também a preocupação congregar esforços no sentido de, com outras organizações nacionais e internacionais, promover um trabalho conjunto com o objetivo de se colocar na ordem do dia a problemática destas crianças, mobilizando a sociedade para que se encontrem soluções duradouras e justas para todas as crianças.

Acreditando no nosso trabalho e no daqueles que, de forma generosa, voluntária e solidária, continuam a trabalhar connosco, a CNASTI propõe para o ano 2018…


A CNASTI PROPÕE PARA 2018:

- Denunciar todas as formas de exploração do trabalho de crianças;

- Continuar a dar atenção à evolução das situações de pobreza infantil em Portugal;

- Continuar uma abordagem de conhecimento sobre o que se passa com as crianças refugiadas em Portugal, na Europa e no mundo;

- Desenvolver contactos com outras organizações que trabalhem na defesa dos direitos das crianças refugiadas, migrante, etc…, no sentido de se criar uma plataforma internacional que possa de facto ter peso na opinião pública internacional;

- Continuar a aprofundar o conhecimento sobre a realidade que afeta as crianças que estão no mundo do desporto de alta competição e profissional;

- Dar maior atenção ao que vai sendo noticiado e aprofundar o conhecimento que temos sobre o tráfico de crianças e a atuação das autoridades e que papel a CNASTI pode ter no combate a esta realidade;

- Tornar a CNASTI mais forte, mais participada e sustentável financeiramente;

- Continuar o trabalho com as parcerias existentes e a criação de outras, que visem o combate à pobreza das crianças e outras matérias, nomeadamente com a EAPN – Rede Europeia Anti-pobreza;

- Manter o contacto com os grupos parlamentares, com o objetivo de colher apoios das entidades responsáveis para a elaboração de um estudo científico sobre a exploração do trabalho de crianças em Portugal;

- Procurar linhas de apoio a projectos de financiamento, que possibilitem financiar a atividade da CNASTI;

- Continuar a intervir na imprensa, partilhando preocupações e iniciativas da CNASTI;

- Aprofundar a realidade e desenvolver o nosso conhecimento ao nível do Trabalho Infantil e outras formas de exploração;

- Dar atenção permanente a tudo o que for surgindo para que a CNASTI possa ter uma opinião sobre o que afeta a vida das crianças portuguesas e que possa por em risco os seus direitos;

- Promover iniciativas que reforcem a necessidade e as virtudes da criação de uma plataforma nacional (ONGs e Organismos públicos) que vise a proteção da criança.


PLANO DE ATIVIDADES:

- Reuniões periódicas da Comissão Executiva da CNASTI;

- Reunir com as Câmaras Municipais, para dar a conhecer o nosso Plano de Ação e promover possíveis parcerias;

- Assembleia Geral – Março

- Primeira reunião internacional com organizações que trabalhem a problemática das crianças refugiadas e migrantes, para definição de um plano estratégico para a criação de uma “Plataforma Europeia de Defesa dos Direitos das Crianças Refugiadas e Migrantes”;

- Assinalar o Dia Mundial da Criança – 1 de Junho;

- Assinalar o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil – dia 12;

- Realização da 14.ª Assembleia de Crianças e Jovens, assinalando também a data da aprovação da Convenção dos Direitos das Crianças, sobre “as crianças e o mundo do desporto” (preparação da Assembleia de crianças);

- Realização de um Seminário Nacional sobre a Participação das Crianças no Desporto de Alta Competição;

- Assembleia Geral – Novembro;

- Dinamização permanente da página Web da CNASTI – www.cnasti.pt;

- Impressão de materiais de divulgação da CNASTI.

 

FORTALECER A CNASTI

No ano de 2018, daremos continuidade à angariação de novos associados individuais e coletivos e prosseguir o esforço de recebimento das respetivas quotas.

Tirar maior benefício do Estatuto do Mecenato e também aceder ao apoio das autarquias e outras entidades, no sentido de obtermos recursos financeiros que possibilitem a realização das iniciativas da CNASTI.

Continuar a divulgação pelos associados e amigos da CNASTI da possibilidade de consignação à CNASTI de 0,5% do IRS.

Prosseguir com a colaboração técnica e especializada de alguns associados e outros, nomeadamente, ao nível da contabilidade, assessoria jurídica e científica, contencioso e notariado, informático, entre outros, de forma graciosa.