Plano de Ação para 2019

INTRODUÇÃO

Em pleno seculo XXI, na era digital, com a robotização a substituir o homem na execução de muitas tarefas, constatamos que ao nível das relações interpessoais, dos Direitos humanos e dos direitos das Crianças, os avanços são muito pouco notórios e os retrocessos mais efetivos.

Hoje a realidade mundial é marcada por um nível de violência, extremismo e fanatismo tal, que põe em causa a vida de milhões de pessoas, deixando numa situação de particular vulnerabilidade mulheres e crianças.

As migrações em busca de sobrevivência continuam pelos diversos continentes, deixando crianças à mercê de todo o tipo de abuso que se possa imaginar, com requintes de malvadez e crueldade, que custa a crer ser possível acontecer nos dias de hoje… mas acontecem por que há uma indiferença global em relação à situação que esta população vive.

A exploração de crianças é uma realidade em todos os continentes e assume várias formas, trabalho infantil, exploração sexual, tráfico de crianças, etc.

A CNASTI, para além do seu trabalho específico, mantém como objetivo congregar esforços no sentido de, com outras organizações nacionais e internacionais, promover um trabalho conjunto com o objetivo de se colocar na ordem do dia a problemática destas crianças, mobilizando a sociedade para que se encontrem soluções duradouras e justas para todas as crianças.

Certos da importância do nosso trabalho e acreditando que poderemos continuar a contar com o daqueles que, de forma generosa, voluntária e solidária, continuam a trabalhar connosco, a CNASTI propõe para o ano 2019…

 

A CNASTI PROPÕE PARA 2019:

·      Denunciar todas as formas de exploração do trabalho de crianças;

·      Prosseguir com o acompanhamento da evolução das situações de pobreza infantil em Portugal;

·      Prosseguir a abordagem de conhecimento sobre o que se passa com as crianças refugiadas em Portugal, na Europa e no mundo;

·      Desenvolver contactos com outras organizações que trabalhem na defesa dos direitos das crianças refugiadas, migrante, etc…, no sentido de se criar uma plataforma internacional que possa de facto ter peso na opinião pública internacional;

·      Prosseguir a procura do conhecimento sobre a realidade das crianças que estão no mundo do desporto de alta competição e profissional e dos seus eventuais efeitos perniciosos;

·      Aprofundar o conhecimento sobre os problemas que afetam as crianças, nomeadamente, o tráfico de crianças, violência doméstica, entre outros, e a consequente atuação das autoridades, para aferir o papel da CNASTI no combate a estas realidades;

·      Tornar a CNASTI mais forte, mais participada e sustentável financeiramente através de linhas de apoio a projetos de financiamento, que possibilitem financiar a atividade da CNASTI;

·      Prosseguir o trabalho com as parcerias existentes e a criação de outras, que visem o combate à pobreza das crianças e outras matérias, nomeadamente com a EAPN – Rede Europeia Anti-pobreza;

·      Manter o contacto com os grupos parlamentares, com o objetivo de os sensibilizar para a ação que a CNASTI desenvolve.

·      Continuar a intervir na imprensa, partilhando preocupações e iniciativas da CNASTI;

·      Aprofundar a realidade e desenvolver o nosso conhecimento ao nível do Trabalho Infantil e outras formas de exploração;

·      Dar atenção permanente aos novos desenvolvimentos no âmbito da infância para que a CNASTI possa ter uma opinião sobre o que afeta a vida das crianças portuguesas e que possa por em risco os seus direitos;

·      Promover iniciativas que reforcem a necessidade e as virtudes da criação de uma plataforma nacional (ONG’s e Organismos públicos) que vise a proteção da criança.

 

PLANO DE ATIVIDADES:

·      Reuniões periódicas da Comissão Executiva da CNASTI;

·      Reuniões com as Câmaras Municipais, para dar a conhecer o nosso Plano de Ação e promover possíveis parcerias e continuar os contactos com vista a conseguir-se a cedência uma sede para a CNASTI;

·      Primeira reunião internacional com organizações que trabalhem a problemática das crianças refugiadas e migrantes, para definição de um plano estratégico para a criação de uma “Plataforma Europeia de Defesa dos Direitos das Crianças Refugiadas e Migrantes”;

·      Seminário sobre Violência Doméstica e os impactos que essa realidade tem na vida das crianças;

·      Assinalar o Dia Mundial da Criança – 1 de Junho;

·      Assinalar o 25.º Aniversário da CNASTI;

·      Assinalar o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil – dia 12 de Junho;

·      Reuniões com os presidentes das organizações associadas da CNASTI;

·      Realização da 15.ª Assembleia de Crianças e Jovens, assinalando também a data da aprovação da Convenção dos Direitos das Crianças;

·      Assembleia Geral – Novembro;

·      Dinamização permanente da página Web da CNASTI – www.cnasti.pt e a criação de uma página no Facebook e Instagram;

·      Impressão de materiais de divulgação da CNASTI.

 

FORTALECER A CNASTI

No ano de 2019, daremos continuidade à angariação de novos associados individuais e coletivos e prosseguiremos o esforço de recebimento das respetivas quotas.

Tirar maior benefício do Estatuto do Mecenato e também aceder ao apoio das autarquias e outras entidades, no sentido de obtermos recursos financeiros que possibilitem a realização das iniciativas da CNASTI.

Continuar a divulgação pelos associados e amigos da CNASTI da possibilidade de consignação à CNASTI de 0,5% do IRS.

Prosseguir com a colaboração técnica e especializada de alguns associados e outros, nomeadamente, ao nível da contabilidade, assessoria jurídica e científica, contencioso e notariado, informático, entre outros, de forma graciosa.